Vai Corinthians!!!

08/11/2013

O Dia D

Mais artigos de »
Escrito por: Pablo
Tags:, , , , ,

Você lembra o dia em que decidiu ser torcedor do Corinthians? Se o é desde criancinha, lembra qual foi o momento em que o sentimento foi verbalizado com convicção e certeza absoluta?

Em meio a um período de indignação com a postura do atual Campeão do Mundo, a pergunta é para lembrar-nos do encantamento da descoberta que iria determinar “a dor e a delícia” de ser o que somos.

Gostaria de contar a minha história de evolução, mas para ilustrar um dia tão significativo, escolho e indico o registro do jornalista Marcelo Duarte que, com uma pitada de humor, conta pra nós no livro “O dia em que me tornei Corinthiano”, o seu dia “D”.

Para além da plaquinha na porta da maternidade, com bases nada científicas, o autor sacramenta que a escolha pelo time do coração acontece aos sete anos de idade. Seu pai era torcedor do Timão, mas um tio simpático ao time da Vila Sônia vivia instigando-o com possíveis vantagens e ainda ostentando Cola-Cola durante as visitas do garoto a sua casa. Marcelo conta que em sua humilde casa a bebida era algo controlado e consumida apenas uma vez por semana:

“Em casa só tomávamos Coca-Cola aos domingos” (…).

(…) na casa do meu tio não era assim. Sempre que íamos lá havia Coca-Cola à vontade. Garrafas abertas na geladeira.

Percebendo que perdia terreno e com a proximidade dos tais sete anos, o pai o levou ao estádio. O jogo foi tenso, observou o nervoso da torcida, soube que o Corinthians não ganhava título há 17 anos e recebeu o aviso do pai:

-Com o Corinthians, meu filho, vai ser sempre assim: sofrido!

Conta das sacudidas após um golaço do Rivelino, do frescor da noite na saída do estádio, da evidente alegria do ambiente e do momento de cumplicidade vivido entre pai e filho:

(…) no caminho para o carro ele resolveu parar numa padaria. Sentamos naqueles bancos altos do balcão e ele pediu duas Coca-Colas, uma para cada um. Então é assim que os corinthianos comemoram suas vitórias? Virei Corinthiano!

O livro é de leitura agradável, as ilustrações de Daniel Kondo contribuem para a leveza e, em tempos de memória digital, apresenta as escalações, números, partidas memoráveis e outros dados quantitativos para nosso deleite e orgulho de nossa grandeza.

O Dia em que me tornei Corinthiano

Editora Panda Books

Marcelo Duarte



Sobre o Autor

Pablo
Coordenador de Suporte, Governador da República Popular do Corinthians e Louco pelo Timão!




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.